quinta-feira, 16 de julho de 2009

Positivo, ou melhor 679 mUI/mL

Acordei há duas semanas com a certeza de estar grávida e então me enchi de coragem e fui fazer o teste de farmácia. Estava disposta a tirar esta dúvida que me atormentava a cabeça há alguns dias, pois entre sonos alucinantes, enjôos sem sentido, peitos que nunca desincham e, é claro, menstruação que nunca vem, não me restava mais opção.

Liguei para a farmácia e pedi o melhor teste. O rapaz chegou e fui direto pra o banheiro acabar com a dúvida de uma vez. Fiz o exame exatamente como o explicado e esperei para ver se apareciam uma linha(negativo) ou duas (positivo). No começo só apareceu a primeira linha e nada de segunda. Comecei a achar que era alucinação da minha cabeça, mas de repente começou a aparecer uma segunda linha fraquinha e aí ficou nisso, uma segunda linha fraquinha. E agora? Estou ou não grávida? Acabou que o teste me deixou mais tensa e pra piorar tudo não conseguia falar com a minha ginecologista.

Como não conseguia mesmo falar com a minha médica, resolvi ligar para o laboratório que faz o exame e tirar minha dúvida. Disquei o tal número e quando me atenderam expus logo minha dúvida. A moça que estava do outro lado me respondeu como se fosse uma pergunta de resposta óbvia: “Não importa a intensidade da linha, se ela apareceu é porque você está grávida!”

Claro que só esta explicação não me deixou satisfeita e voltei a tentar contato com a minha ginecologista. Depois de alguns minutos, que obviamente pareceram horas, consegui contactá-la e ela me mandou um pedido para fazer um Beta HCG via email. Imprimi o pedido e corri para fazer o exame.

No laboratório foi super rápido, colhi o sangue e voltei pra casa para esperar até às 17h, horário que a enfermeira havia me dito que ficaria pronto o resultado do exame para ser conferido via telefone. Agora só me restava esperar um pouco mais e controlar minha ansiedade por mais seis horas, dezesseis minutos e alguns segundos. Isso porque não contei que quando cheguei lá tinha esquecido minha carteira de identidade e tive que voltar pra casa pra buscar. Só eu mesma.

Depois de esperar o dia inteiro, dia este que não passava nunca, liguei para o laboratório e dei meu número de identificação para o rapaz que me atendeu. Ele, então, me disse que o resultado já estava disponível e que ia buscar pra mim. Logo ele voltou e me disse que o resultado era de 679 mUI/mL. Tá bom! Mas, o que quer dizer isso? Isso é positivo ou negativo? O que aconteceu com o resultado simples e direto? Perguntei para o rapaz e a única coisa que ele me respondia era que eu tinha que ver com o meu médico, pode? Continuei sem certeza.

Depois de um dia de angústia só as palavras da minha médica poderiam me acalmar e me dar a certeza que eu queria. Liguei pra ela, e imagina? Ela estava em consulta, claro, não podia ser fácil, e quem atendeu o telefone foi a assistente. Pedi, então, para ela perguntar para a minha médica o que significava aquele bendito número 679 mUI/mL e ela falou que perguntaria e me ligaria de volta. Inacreditável, mas tive que esperar um pouco mais para aliviar minha tensão.

Logo depois o telefone tocou e enfim veio a minha resposta. Você está gravidíssima! Parabéns! Disse a assistente. Meu coração foi na boca. Até passei mal. Quem diria que descobrir a vinda do segundo filho seria assim. Mas como diz a minha médica. Cada parto é um parto e cada gravidez é única. Inclusive a forma de descobrir, não é mesmo? Ufa! Enfim grávida. Enfim tranquila! Será?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário